Cardápio

Curta Mormaço

10:00

DVD Mormaço 
Imagem: Divulgação
Este é um curta feito para divulgar Mormaço, o segundo DVD de Marcelo Camelo. O vídeo é uma compilação de imagens e sons captados ao longo de mais de um ano para o projeto, feito exclusivamente para a internet.

Cardápio

Recordar é viver

14:00

(Divulgação)
O blog Cinema é tudo isso! convida os espectadores mais corajosos para eleger os 50 títulos mais assustadores de todos os tempos. Você pode participar até o dia 30 de setembro indicando de 5 a 10 filmes no blog. O top aterrorizante será divulgado no dia 1 de novembro.

Esta parte do Relicário, apesar de medrosa, é curiosa. Conta para gente qual a sua lista e confira a seguir os 10 títulos que testaram este coração e só de lembrados (ainda) causam calafrios.

Cinema

Dinheiro, sucesso, fama e glamour

08:00

The Bling Ring (Divulgação)
Poster brasileiro (Divulgação)
Bonitinhos, mas ordinários, um grupo composto por cinco jovens virou notícia ao invadir e furtar a residência de reles mortais como Paris Hilton, Lindsay Lohan, Orlando Bloom, entre outras celebridades. Do anonimato para a detenção, os 15 minutos de fama dos adolescentes são completados por um reality show sobre a líder do quinteto e, a partir de 14 de junho, por um filme. A controversa fama adquirida com os delitos, bem como a obsessão dos cinco por esta, é o foco em Bling Ring: A Gangue de Hollywood (The Bling Ring), o novo trabalho de Sofia Coppola.

Filha do cultuado e também cineasta Francis Ford Coppola, a biografia justifica o tema (fama, vida de celebridades, sucesso) recorrente na filmografia da diretora. Em "Encontros e Desencontros" (2003) há o ator e a jovem loira perdidos em meio a uma questão de identidade, de se reconhecer e, além disso, aceitar aquilo que vê. Em "Um Lugar Qualquer" (2010) há uma segunda jovem loira, esta a filha e companhia do vazio existencial de outro ator, que segue uma vida anestesiada na maior parte do tempo, contudo, normalmente invejada.

Com direção e roteiro de Coppola, figurino Louis Vuitton, Chanel, Christian Louboutin, Dior e mais, trilha sonora com M.I.A., Azealia Banks, Frank Ocean e Lil Wayne, e a gangue de Hollywood vivida por Emma Watson (Nicki, a líder), Katie Chang (Rebecca), Taissa Farmiga (Sam), Claire Julien (Chloe) e Israel Broussard (Marc), o filme é esperado tanto por cinéfilos quanto por "fashionistas".

Cardápio

Jards Macalé em outras vozes

09:00

Capa do álbum virtual "E Volta Pra Curtir"
Imagem: Daryan Dornelles, Tello Gemmal e Márcio Bulk

Lançado esta semana, “E Volto Pra Curtir” é uma homenagem em 11 tons da nova geração MPB para um nome da velha, que completou em março 70 anos. O projeto traz as 10 músicas do primeiro trabalho (1972) do cantor e compositor Jards Macalé, além de "Vapor Barato". As composições foram reinterpretadas por Apanhador Só, Filippe Catto, Metá Metá, Leo Cavalcanti, Rafael Castro, Arícia Mess, Bruno Consentino & Marcos Campello, Letuce, Garotas Suecas, Marcia Castro e Ava Rocha. O álbum tributo - e uma entrevista - está disponível para download gratuito no site Banda Desenhada.

A seguir você pode conferir tudo que Macalé jogou num verso intitulado "Mal secreto", faixa interpretada em "E Volto Pra Curtir" pela banda gaúcha que já tocou este mês na nossa Jukebox



Cardápio

A pergunta que não quer calar

10:33

Cena do jogo Will Love Tear Us Apart?
Imagem: Divulgação

"Will Love Tear Us Apart?" é um jogo online inspirado no maior sucesso da banda Joy Division, "Love Will Tear Us Apart", e ao contrário do título da canção - uma afirmativa - concede ao jogador a opção de descobrir, ao jogar, claro, se o amor irá separar ou não os dois personagens da história.

Não se iluda esperando algum resquício visual da simbologia clichê dos enamorados, contudo dois momentos são exceções. Neles o jogador deve decidir o futuro do casal, sendo o primeiro um jogo de cartas e o segundo um labirinto dentro do coração, alegorias da ilusão e do conflito interno.

O jogo de cartas, o coração e o labirinto dentro dele
Imagens: Divulgação

O jogo é angustiante, sombrio e estranho - muito estranho! - e faz da representação dessas intenções, além da tristeza, seu ponto mais interessante. A dualidade do preto e do branco sugere a objetividade pretendida na famosa "DR", enquanto as diferentes texturas - nuances do relacionamento, talvez - formam em certo momento um rosto zangado subliminar, remetem a um mergulho no interior de um corpo humano, ilustram sinapses e batimentos cardíacos.

Veja abaixo o trailer do jogo lançado pela produtora Mighty Box Games e o videoclipe da música escrita por Ian Curtis, vocalista da banda.




Cardápio

Exército de um homem só

19:23

Em tempos de #protestoBR começa a desfilar pelo asfalto certa cara de cor pálida e sorrido esticado. Ela surge sobre a verdadeira identidade de indivíduos unificados em multidões. A caracterização de V, protagonista da história em quadrinhos V de Vingança, de Alan Moore, seja cobrindo o rosto ou estampando o peito, mostra-se mais um recurso indispensável junto a cartazes, vinagre e máscaras de gás.

Relicário | Exército de um homem só
Imagem: Vinícius Gressana

Literatura

E viveram feli... Livro dá sequência à obra de Jane Austen e será adaptado para TV

15:34

Cena do filme Orgulho e Preconceito (Pride and Prejudice, 2005)

A obra de maior sucesso de Jane Austen é referência para o livro "Death Comes To Pemberley" (Morte em Pemberley), de P.D. James. Este, por sua vez, ganhará adaptação para a TV até o fim deste ano, somando mais uma releitura às muitas já feitas sobre a produção de Austen, composta por seis títulos: "Razão e Sensibilidade", "Orgulho e Preconceito", "Mansfield Park", "Emma", "A Abadia de Northanger" e "Persuasão" - os dois últimos lançados após a morte de autora.

Capa da versão em português
Imagem: Divulgação

A recente adaptação televisiva vem de "Orgulho e Preconceito", cuja história compõe o universo de "Death Comes To Pemberley", e trata-se de uma minissérie homônima da obra de James. Ao todo serão apenas três episódios exibidos pelo canal britânico BBC One. Apesar de anunciada em março de 2012, aprovada em fevereiro, elenco confirmado e gravações iniciadas, a minissérie não divulgou ainda a data de lançamento.


O livro "Death Comes To Pemberley" foi publicado em 2011 e assume o papel de continuação da obra de Austen após seis anos da união dos protagonistas. Elizabeth e Mr. Darcy vivem com seus dois filhos em Pemberley, onde será realizado um baile. Às vésperas do evento vem à tona a notícia do assassinato de George Wickham, marido de uma das irmãs de Elizabeth, dando início a uma investigação envolvendo o casal protagonista e demais personagens, que surgem inclusive de outros romances de Jane Austen, como Anne, de "Persuasão", e Emma, de "Emma". Diferentemente de sua artista inspiradora, P. D. James é conhecida pelo gênero policial e suspense.


O Mr. Darcy eternizado em 1995 por Colin Firth e em 2005 por Matthew MacFadyen, será interpretado em 2013 por Matthew Ryhs (The Americans, Brothers & Sisters), enquanto Anna Maxwell Martin (Doctor Who) fará Elizabeth, já vivida por Jennifer Ehle (1995) e Keira Knightley (2005). Estão na minissérie também Rebecca Front, James Fleet, Penelope Keith, Joanna Scanlan, Eleanor Tomlinson, James Norton, Tom Ward e Trevor Eve.


Elizabeth e Sr. Darcy acima (1995) e abaixo (2005)
Imagens: Divulgação

Anna Maxwell Martin e Matthew Ryhs
Imagens: Divulgação

Queridinha das adaptações, as narrativas de Jane Austen já inspiraram filmes, minisséries, livros e até mangá. Orgulho e Preconceito lidera essa lista. Para as telas são três filmes para a TV, três minisséries e dois filmes. No gênero literário, além da publicação já mencionada de P. D. James, constam “Orgulho e Preconceito e Zumbis” e o mangá “Kouman to Henken”, sem tradução para português. Há ainda o musical "Noiva e Preconceito" numa versão Bollywood.


Capas da versão zumbi e oriental de "Orgulho e Preconceito"
Imagens: Divulgação

Cardápio

V de Vinagre

14:24

Capa do jogo
Imagem: Divulgação




Longe das ruas e das multidões que saem em passeata por todo o país, foi lançado esta semana para os usuários do Facebook o jogo V de Vinagre, inspirado nos protestos iniciados com o aumento da tarifa do transporte público, cujo episódio da última quinta-feira (13/06) envolveu a prisão de manifestantes por portar o tal líquido - justificado como uma forma de amenizar os efeitos das bombas de gás lacrimogêneo.

Desenvolvido pela Flux Game Studio, o jogo, como conta o desenvolvedor Paulo Luis Santos em entrevista a um site de tecnologia, foi feito em menos de um dia durante um evento voltado para programadores, com a finalidade de compartilhar idéias e elaborar jogos em até 48 horas. Paulo tem 31 anos, é formado em jornalismo na ECA-USP e pós-graduado em Programação e Desenvolvimento de Games pelo Senac. 

De enredo simples, o jogador controla um manifestante na Avenida Paulista, trajando uma máscara de V, personagem da HQ V de Vingança, de Alan Moore. O objetivo é driblar obstáculos enquanto foge dos policiais e coletar o maior número possível de garrafas de vinagre. A perseguição é intensificada à medida que o personagem passa a portar um volume maior de vinagre. 


Cenas do jogo
Imagens: Divulgação

Os criadores acreditam que esta é uma forma descontraída de expor os acontecimentos sobre o protesto e de também conscientizar, por isso pretendem investir no jogo incrementando novos recursos e adaptando para outros formatos.

Cardápio

Canções para ver

21:25


Mormaço, segundo DVD do Marcelo Camelo é uma verdadeira experiência para os sentidos. A já conhecida poesia e a voz mansa do cantor se misturam harmonicamente com a linguagem visual da fotografia. O disco, lançado no final de maio, é resultado de um show realizado em Porto Alegre.






Cardápio

As páginas que não lemos

14:18

    
Lápis Zen, uma das histórias em Outros Quadrinhos
Imagem: Gavin Aung Than

O site Outros Quadrinhos traz para o público brasileiro webcomics estrangeiros. 

Os webcomics, como explica o site, são quadrinhos produzidos de forma independente, ou seja, na maioria das vezes o autor escreve, desenha, cria seu espaço na web, faz a divulgação e mantêm seus fãs atualizados. A mídia proporciona a esses artistas possibilidades que jamais poderiam funcionar no tradicional papel, como baixo custo, rápido reconhecimento e liberdade de criação.

O que a equipe de Outros Quadrinhos faz é traduzir, publicar e creditar, tudo gratuitamente, HQs e mangás que estão longe do mercado editorial, mas que não deixam a desejar em qualidade. 

Ainda recente, o projeto publica atualmente sete séries: Falso Positivo, Lápis Zen, Mal S.A., Murder Book, Os Nós Ocultos, Serena Rosa e Tenebrosas Fofuras.

Cinema

As novas cores de Almodóvar

13:10

Poster espanhol
Imagem: Divulgação
Após o drama/suspense de A Pele Que Habito (2011), Pedro Almodóvar retorna à comédia a bordo de um avião. O diretor se volta para o estilo de seus primeiros sucessos cinematográficos colocando mais uma vez todos à beira de um ataque de nervos. Os ânimos brasileiros poderão ser acalmados em 28 de junho, data da estréia nacional.

Em Os Amantes Passageiros (Los Amantes Pasajeros, 2012) um grupo de distintos personagens vivem uma situação de risco dentro de um vôo da Espanha para o México. A reação dos passageiros e da tripulação é cômica diante da impossibilidade de defesa e iminência da morte. Os desconhecidos passam a compartilhar o desespero e confissões  íntimas, tornando-os cada vez mais próximos. As inusitadas declarações durante o episódio limite se mostra uma clara tentativa de esquecer a angústia do momento, enquanto a urgência faz estes personagens enfrentarem o perigo maior daquilo que cada um guarda dentro de si mesmo.


Arqueiro

Indicações para a sua estante

20:19


Inferno, por Dan Brown

O autor de sucessos editoriais como “O Código Da Vince” e “Anjos e Demônio” volta às livrarias mundiais e ao topo da lista dos mais vendidos com “Inferno”. O novo thriller de Brown retoma a fórmula que o consagrou em publicações anteriores: história, arte, códigos e símbolos. A narrativa se dá no coração da Itália, onde o professor de Simbologia de Harvard, Robert Langdon, é arrastado para um mundo angustiante centrado numa das obras literárias mais duradouras e misteriosas da história: O Inferno, de Dante Alighieri. Em mais uma corrida contra o tempo, Langdon enfrenta um enigma engenhoso que o leva para uma clássica paisagem de arte, passagens secretas e ciência futurística.





O Silêncio das Montanhas, por Khaled Hosseini

    Autor do sucesso de crítica e de público “O Caçador de Pipas”, Khaled Hosseini lança em 2013 a comovente e complexa história dos irmãos Pari e Abdullah, que moram em uma aldeia distante de Cabul, são órfãos de mãe e têm uma forte ligação desde pequenos. No entanto, as circunstâncias levam a separação das crianças. Juntamente com a trama principal, o autor relata a história de diversos personagens que de uma forma ou de outra se relacionam com os irmãos e sua família. O livro trata, sobretudo, do amor em uma família e dos sacrifícios que fazemos em nome desse sentimento, além de abordar o impacto das escolhas na nossa vida.

Música

Antes Que Tu Conte Outra

12:06



Capa de "Antes Que Tu Conte Outra"
Foto: Rafael Rocha
Há pouco mais de duas semanas foi lançado “Antes Que Tu Conte Outra”, novo álbum da Apanhador Só. Arriscaram um vôo em queda-livre, mas o paraquedas abriu. Após um ano, o pouso foi amparado e aguardado por exatos 764 apoiadores, pessoas que junto à banda e graças ao Catarse, plataforma de crowdfunding ou financiamento coletivo, tornaram o projeto realidade. O impacto da queda foi maior. O segundo álbum dos gaúchos exalta a liberdade de criação e ousadia. É também tenso, debochado, escrachado e, ainda assim, divertido na medida certa.




Motivos
Imagem: Divulgação
As parcerias não terminam nos colaboradores do Catarse. O disco foi co-produzido por Gustavo Lenza, Zé Nigro, Antonio de Paula Ternura e Diego Poloni. Em 21 de maio, “Antes Que Tu Conte Outra” foi disponibilizado gratuitamente para download no site oficial da banda, assim como os trabalhos anteriores, Apanhador Só (2010), Acústico-Sucateiro (2011) e Paraquedas (2012). Além de baixar, os fãs podem ainda ouvir as novas canções por streaming.


Apanhador Só 2.0

A internet faz parte do arsenal dos rapazes desde o início de sua trajetória. Eles operam essa ferramenta tão bem quanto os objetos inusitados inseridos nas melodias e nos palcos. A banda vê na web a possibilidade de distribuição de conteúdo, aproximação e reconhecimento por ser uma linguagem comum e muito presente na geração atual.

Essa afinidade da Apanhador Só teve início na Trama Virtual, comunidade brasileira de bandas, pela qual passaram nomes como Vanguart, Móveis Coloniais de Acaju, Cansei de Ser Sexy, Nevilton e O Teatro Mágico. Anos depois eles surgiram em outra rede social para fazer valer a máxima “a união faz a força”. E fez. Catarse, como dito anteriormente, é uma interface de crowdfunding, na qual, como consta no site, “pessoas apoiam financeiramente projetos criativos em troca de recompensas que variam de acordo com o valor contribuído”. Cada projeto possui um prazo de arrecadação e, uma vez alcançado o total almejado, a idéia é iniciada, caso contrário o valor é devolvido às pessoas que contribuíram.

No perfil da banda no site consta o total necessário e o arrecadado, R$ 59.188, para cobrir gastos com produção musical, gravação, mixagem, masterização, arte gráfica e fabricação dos discos. Em troca todos os colaboradores tiveram o nome creditado na arte do álbum, além de recompensas equivalentes ao investimento de cada um. Através de um vídeo postado no mesmo perfil alguns integrantes do grupo convidam e explicam a iniciativa, condições e as recompensas que envolviam desde cds, bottons, adesivos e camisas até oficinas, show acústico-sucateiro em casa, trilha sonora e serenata romântica. 


Linha do tempo

Os guris juntaram-se entre 2003 e 2004, mas foi em 2006, em Porto Alegre e com o lançamento do primeiro EP Embrulho Pra Levar, que Apanhador Só se firmou como banda. Hoje é composta por Alexandre Kumpinski, Felipe Zancanaro, Fernão Agra e André “Foca” Zinelli, e é um dos novos nomes do rock alternativo brasileiro. 

A sonoridade da banda é marcada pela experimentação, fato que explica o nome Tom Zé entre uma das referências dos meninos. Fazem parte também das influências Beatles, Chico Buarque, The Who e Strokes.


O projeto gráfico

Rafael Rocha assina mais uma vez o projeto gráfico. Para “Antes Que Tu Conte Outra” foram confeccionados doze cards, idéia presente também na arte de Apanhador Só (2010), pôster, capa, contra capa, bolacha e encarte.


 Frente e verso do card da faixa 03
Foto: Reprodução

Encarte
Imagem: Rafael Rocha
Além de colocar as músicas para serem baixadas de graça, a Apanhador Só investe também na venda dos formatos físicos de mídia não se detendo ao Mp3. As composições já foram colocadas e são comercializadas em vinil, fita k7 e, claro, em CD. O cuidado dedicado à direção de arte dos projetos e nos diferentes formatos vem da necessidade dos fãs de música de ter o objeto para apreciar e guardar.

Cardápio

Jardim suspenso

19:45


  

A instalação Falling Garden, dos artistas suíços Gerda Steiner e Jörg Lenzlinger, foi criada em 2003 para a 50ª Bienal de Veneza e exposta na igreja de San Staë. A obra é uma coleção de materiais orgânicos de diferentes locais.


Fotos de Gerda Steiner & Jörg Lenzlinger.

Cinema

A campanha que mudou uma nação

18:08

Poster brasileiro
Foto: Divulgação
O filme NO, do diretor Pablo Larraín, é em essência maniqueísta, mas, como sugere o título, remonta uma importante passagem histórica do Chile detalhando e favorecendo, por motivos óbvios, a ação política contrária à permanência do então presidente em meados dos anos 80. O momento, o plebiscito de 1988 focado na continuação do general Augusto Pinochet na presidência. A motivação para a sua realização veio de fora. Diante da pressão externa, a convocação da população chilena a optar pelo SIM implicaria na legitimação do governo Pinochet, enquanto pelo NÃO cessariam os 15 anos de permanência do ditador no cargo, bem como as consequências desse período enumeradas em NO como exílio, tortura, perseguição, assassinatos, censura, além de outros.

O plebiscito de 88 foi antecedido por outros dois, os de 1978 e 1980, contudo a censura e fraude nestes resultaram em um Chile receoso e descrente. A certeza de vitória do SIM cresce em NO quando é apresentado outro tipo de medo. Com a saída do ditador a população temia também o retorno do sistema comunista ilustrado pelo desemprego, filas, educação precária, etc. Está aí o maior problema e o público-alvo do protagonista René Saavedra, interpretado por Gael Gacía Bernal, um publicitário convidado pelos membros do NÃO a liderar a campanha. A apresentação de Saavedra é continuada como pai, jovem e exilado de volta ao país recentemente. Não à toa o profissional é exposto nos primeiros segundos do filme, sendo este aspecto do personagem o mais evidente, mas também necessário diante das emoções evocadas pelo contexto político nos demais envolvidos na publicidade do NÃO. Em mais de um momento o distanciamento do protagonista é encarado como indiferença pelos atos ditatoriais.

Dia das eleições. Foto: Divulgação
Ao aceitar, o René publicitário é apresentado a uma proposta de campanha fundamentada no enfrentamento, para a qual indica a sugestão. No lugar das imagens chocantes, da explicitação do horror e brutalidade proporcionados à população seriam apresentadas durante um mês na televisão chilena cenas que incitassem alegria e liberdade. A propaganda eleitoral obrigatória deveria durar 30 minutos, sendo metade deles concedidos a ambos os lados. A campanha do NÃO e a história se intensificam na tela ao mostrar a construção do slogan “Chile, la alegría ya viene”, passando pela criação do símbolo, da marca, do jingle, dos vídeos e dos discursos. A proposta do SIM também é conhecida, mas já finalizada, quando têm início as exibições. A contraposição das idéias e estratégias de comunicação à medida que se desenvolvem estabelecem outra dualidade, a de mocinhos e vilões. Nessa fase a comunicação se mostra uma ferramenta de poder, tratada pelo primeiro grupo como informativa e pelo segundo como manipulativa. 

A estética e enquadramento por vezes trêmulo dão às imagens de NO aspecto verossímil, que se confundem com as de vídeos originais da década mescladas com a história do diretor. As cores e a textura vistas foram possíveis devido ao uso de equipamento no formato U-matic. 

Se os minutos da propaganda eleitoral são sinônimos de tédio ou comédia, as quase 2 horas de NO foram merecedoras da atenção de todos e do Prêmio da Confederação Internacional dos Cinemas de Arte e Ensaio (CICAE), além de ser o candidato chileno para a categoria de melhor filme estrangeiro no Oscar 2013. NO é baseado em O Plebiscito, peça teatral do escritor chileno Antonio Skármeta, e mais um filme de Larraín sobre a ditadura chileno, compondo uma trilogia iniciada por Tony Manero (2008) e Post Modern (2010).

Cardápio

O gosto do cloro

23:05


O gosto do cloro, de Bastien Vivès
 As páginas do Cardápio de hoje cedem lugar às da graphic novel O Gosto do Cloro (Le Goût du Chlore), ilustrada e escrita por Bastien Vivès, cujo resultado rendeu ao jovem de 25 anos o Prêmio Revelação de Angoulême. Você pode apreciar um pouco da narrativa azulada e silenciosa do francês clicando aqui.

 
  








.

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-SemDerivações-SemDerivados 2.5 Brasil.