[Resenha]: Cade você, Bernadette? (Maria Sample)

02:38




Título: Cadê você, Bernadette? | Autora: Maria Sample | Editora: Companhia das Letras | Edição: 1 | Páginas: 376 | Nota: 5 de 5 

Sinopse: Bernadette Fox é notável. Aos olhos de seu marido, guru tecnológico da Microsoft e rock star do mundo nerd, ela se torna mais maníaca a cada dia; para as demais mães da Galer Street, escola liberal frequentada pela elite de Seattle, ela só causa desgosto; os especialistas em design ainda a consideram uma gênia da arquitetura sustentável, e Bee, sua filha de quinze anos, acha que tem a melhor mãe do mundo. 

Até que Bernadette desaparece do mapa. Tudo começa quando Bee mostra seu boletim (impecável) e reivindica a prometida recompensa: uma viagem de família à Antártida. Mas Bernadette tem tal ojeriza a Seattle - e às pessoas em geral - que evita ao máximo sair de casa, e contratou uma assistente virtual na Índia para realizar suas tarefas mais básicas. Uma viagem ao extremo sul do planeta é uma perspectiva um tanto problemática. 

Para encontrar sua mãe, Bee compila e-mails, documentos oficiais e correspondências secretas, buscando entender quem é essa mulher que ela acreditava conhecer tão bem e o motivo de seu desaparecimento. 

Comentários

Cadê você, Bernadette? é um daqueles livros que a gente termina e se questiona porque não li esse livro antes(?!). A narrativa da Sample é tão honesta, divertida e tem uma personagem principal tão original que é quase impossível não fisgar o leitor. Essa leitura teve como motivação o início do projeto Leitura Compartilhada, no qual eu, a fran (do blog Universo Literário) e o Clóvis (do blog De frente com os livros) nos propomos a ler o mesmo livro no prazo máximo de 15 dias.

Voltando a narrativa, o livro apresenta a história de Bernadete Fox, uma arquiteta com um histórico notável na profissão, mas que há algum tempo abandonou tudo para se dedicar a criação da filha Bee, que nasceu com diversos problemas de saúde. Dito isso, poderíamos pensar que Bernadette leva uma vida de “mulher perfeita norte-americana” com total dedicação a filha e ao esposo, Elgie Branch, programador da Microsoft.

No entanto Bernadette detesta a cidade em que vive - Seattle, não gosta das pessoas em geral, nem da futilidade das outras mães da escola da filha (as quais ela chama de “moscas”) e evita ao máximo todo e qualquer contato com quem não pertença ao seu núcleo familiar. Tarefas simples como pedir o jantar da família eram terceirizadas para sua assistente virtual na Índia (?). Mesmo com a sua fobia social aumentando a cada dia Bernadete se saia bem nas tarefas que envolviam a família até o dia em que Bee chega da escola e reivindica um presente prometido pelos pais caso a garota tivesse notas perfeitas durante o ensino fundamental.

Bee queria uma viagem de família à Antártida. É nesse momento que o conflito se intensifica para Bernadette, que fica dividida entre cumprir a promessa que fez a filha e os terríveis inconvenientes que uma viagem ao extremo sul poderiam lhe causar e acaba sumindo sem deixar rastros.

Um dos aspectos legais desse livro é que a narração é feita pela Bee, filha da Bernadette, que assim como o leitor não faz ideia de onde a mãe está e nem qual foi a motivação para o seu sumiço. Outra coisa bem legal é que o leitor tem acesso a uma série de documentos como e-mails, correspondências, SMS e arquivos do FBI que ajudam a reconstituir tudo que aconteceu. Confesso que no início essa dinâmica entre narração e os documentos me deixaram um pouco confusa, mas ao adentrar na história achei genial a ideia da autora. 

Bernadete é quase uma anti-heroína daquelas toda atrapalhada e excêntrica, mas que tem um bom coração. A protagonista se envolve em diversas situações inusitadas e até perigosas sem fazer a mínima ideia das consequências dos seus atos. Cadê você, Bernadette? É sem dúvida uma leitura divertida, leve e que trata de forma pouco convencional do amor de uma família.

Confira o vídeo em que eu, a Fran e o Clóvis comentamos sobre o livro. Esse vídeo também marca a estreia do nosso canal




Érika Rodrigues

Também poderá gostar

5 comentários

  1. Érika, resenha super completa; adorei!!!
    Não me canso de dizer o quanto foi prazeroso realizar essa leitura com vocês. E que venham as próximas edições...

    Abraços,
    http://universoliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Érika, primeiramente parabéns pela sua resenha! De cara essa capa chama muito minha atenção, é muito linda e nos dá uma ideia divertida do livro. Estou louca pra ler e conferir mais dessa história!

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
  3. Olha eu comprei esse livro não tem muito tempo e estou até mais curiosa para ler depois de ter visto essa resenha e também o video de vocês que ficou super legal. Eu acho que vocês deveriam fazer mais vezes viu? Eu simplesmente adorei a maneira como vocês se expressam e fazem um belo time ! PARABÉNS!!

    Outra coisa também é que tipo, eu gosto de livros chick-lit e acho que esse deve ser hilário.
    Vou ver se encaixo na minha meta de leitura, até porque tenho feito THE BOOK JAR e agora só estou indo pela sorte, embora eu ainda pegue um livro por fora hahahahaha

    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2015/03/resenha-as-escolhas-de-nana.html

    ResponderExcluir
  4. Olá,
    Eu realmente sou curiosa pra conhecer esse livro, tudo na obra me atrai, desde a capa até o título e a premissa. Sou louca de curiosidade pra conhecer melhor essa história, sem falar que os livros dessa editora nunca me decepcionam.
    Beijos.
    Memórias de Leitura - memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Olá, Érika! Parabéns pelo canal, eu quero arrumar coragem para criar um também! hahaha Eu não dava muito por "Cadê você, Bernadette?" mais pela capa e pelo título, que não me chama muito a atenção. Mas agora tô bastante curiosa, muito obrigada pela resenha! *-*

    www.bibliophiliarium.com

    ResponderExcluir

.

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-SemDerivações-SemDerivados 2.5 Brasil.