[Resenha]: Garota, interrompida (Susanna Kaysen)

22:20



Título: Garota, interrompida | Autora: Susanna Kaysen | Editora: Única | Edição: 1 | Páginas: 185 | Nota: 3,5 de 5

Sinopse: Garota, Interrompida - Quando a realidade torna-se brutal demais para uma garota de 18 anos, ela é hospitalizada. O ano é 1967 e a realidade é brutal para muitas pessoas. Mesmo assim poucas são consideradas loucas e trancadas por se recusarem a seguir padrões e encarar a realidade. Susanna Keysen era uma delas. Sua lucidez e percepção do mundo à sua volta era logo que seus pais, amigos e professores não entendiam. E sua vida transformou-se ao colocar os pés pela primeira vez no hospital psiquiátrico McLean, onde, nos dois anos seguintes, Susanna precisou encontrar um novo foco, uma nova interpretação de mundo, um contato com ela mesma. Corpo e mente, em processo de busca, trancada com outras garotas de sua idade. Garotas marcadas pela sociedade, excluídas, consideradas insanas, doentes e descartadas logo no início da vida adulta. Polly, Georgina, Daisy e Lisa. Estão todas ali. O que é sanidade? Garotas interrompidas.

*Este livro foi cedido pela editora para resenha

Comentários

“Quem observa não consegue saber se uma pessoa está calada e quieta porque sua vida interior estacionou ou porque sua vida interior é de uma atividade paralisante” 
Página 89

Garota, interrompida foi a primeira autobiografia que tive a oportunidade de ler. Sempre achei meio estranho essa coisa de falar sobre si, mas o fato do livro da Susanna Kaysen tratar de um período bem atípico da sua vida despertou minha curiosidade. Garota, interrompida abre ao leitor as portas de um hospital psiquiátrico e apresenta o relato de uma jovem que por não saber lidar com uma situação ruim é internada durante dois anos. 

Susanna é convencida a se internar em um hospital psiquiátrico após uma tentativa de suicídio. Seus relatos mostram como a consulta que a diagnosticou foi superficial e insuficiente para se chegar a um quadro de transtorno psicológico, bem como o tratamento que se seguiu. No livro acompanhamos de forma não linear os eventos que culminaram na internação, sua rotina no hospital McLean e alguns acontecimentos posteriores. 

A narrativa é bem crua e rápida. A autora conta sua história como se fosse um compilado de memórias que vão lhe ocorrendo em uma conversa informal. Os capítulos são curtos e apresentam alguns fatos do cotidiano do hospital, a relação com as enfermeiras e médicos e com as outras pacientes. Há também uma série de relatórios médicos inclusos em alguns momentos da narrativa.

Mais importante do que entender a dinâmica do hospital seria vivenciar toda aquela rotina pela ótica de quem em tese não teria necessidade de estar ali, alguém que está lúcida e é submetida a uma situação tão complicada. Apesar de ter ficado em uma ala de segurança quase mínima a autora pecou ao não falar mais sobre estar em um hospital psiquiátrico na década de 60, dos tratamentos, e de eventos que ela deve ter presenciado e que dariam ao leitor o peso de ter consciência dos fatos em uma ambiente hostil como um hospital psiquiátrico. Claro que Susanna não exclui críticas ao processo de diagnóstico e por vezes reflete sobre a questão da sanidade. Mas acho que esperava um relato mais denso dessa experiência. 

Garota, interrompida nos ajuda a refletir sobre o tipo de tratamento que a nossa sociedade dá àquelas pessoas que em algum momento da vida saem do padrão. Mesmo tratando de uma vivência que se deu no final da década de 60, a crítica da autora as nuances do assunto loucura ainda são extremamente atuais.


Érika Rodrigues

Também poderá gostar

8 comentários

  1. Olá Erika,
    Esse livro me parece ser muito reflexivo. Normalmente eu gosto bastante de temas assim, mas não sei se leria o livro rs.
    Acho que é uma leitura forte :/
    Beijos e adorei a resenha!
    http://mileumdiasparaler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Erika. Não conhecia nada sobre o livro, parece ser interessante. Tem o filme também muito conhecido. Chegou a ver? Tenho curiosidade para conhecer mais dessa história. Abraço!

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pela resenha Erika! Já li Garota, Interrompida e curti bastante. Beijo!

    www.newsnessa.com

    ResponderExcluir
  4. Olá Erika. Adorei sua resenha, eu realmente não sabia que este livro era uma autobiografia, e sempre quis lê-lo. Agora fiquei ainda mais curiosa para ler os relatos! *-*
    Beijo

    http://amadoslivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Olá,
    Esse livro parece ser incrível, morro de curiosidade pra ver o filme e conhecer a obra, vou ver se solicito em breve para a editora. Adorei a resenha.
    Beijos.
    Memórias de Leitura - memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Oi Érika, eu não sabia que esse livro era uma auto biografia, mas gostei muito de saber. Fiquei muito curiosa para ler, irei solicitar na próxima vez e conferir mais dessa história :D

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com

    ResponderExcluir
  7. Adorei o filme, mas não tenho tanto interesse pelo livro, não gosto muito de autobiografias.
    Ótima resenha! Beijo.
    http://respiramoslivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Adorei a resenha Erika, ainda mais quando trata temas tão presentes em nossas vidas, afinal quem nunca desejou viver fora desse padrão imposto por uma sociedade tão hipocrita?!
    Espero poder ler este livro, adorei.

    Beijos linda e até mais.
    http://cabinedeleitura1.blogspot.com.br/2015/03/tag-bate-papo-literario.html

    ResponderExcluir

.

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-SemDerivações-SemDerivados 2.5 Brasil.