[Resenha]: Queria ver você feliz (Adriana Falcão)

23:22

Título: Queria ver você feliz | Autora: Adriana Falcão | Editora: Intrínseca | Edição: 1 | Páginas:  160 | Nota: 3,5 de 5

Sinopse: Há quem o chame de Eros, Kama, Philea ou Ahava. O Amor, esse personagem mítico, desempenha o papel de narrador na história real do casal Caio e Maria Augusta, pais da autora Adriana Falcão. O Amor se descreve como perfeccionista e obcecado pelos detalhes, nada que o impeça de ser um bocado descuidado com as consequências dos sentimentos que provoca com suas flechas.
Assim, com uma linguagem poética e ao mesmo tempo muito bem-humorada, Adriana revela para seus leitores aquilo que poderia ser descrito como uma história trágica protagonizada por dois personagens atormentados por seus demônios. Apaixonados, Caio e Maria Augusta se casam no Rio de Janeiro da década de 1950 e têm três filhas. Todo o sentimento que eles compartilham não impede que a personalidade exuberante de Maria Augusta se torne mais obsessiva e asfixiante com o passar do tempo, apesar dos medicamentos e dos tratamentos psiquiátricos. Caio, por sua vez, aprofunda uma melancolia que existia nele desde a adolescência, e que culmina nos anos 1970 em tentativas de suicídio.
Mais do que uma história com um final dramático, trata-se de memórias afetivas que alternam momentos de intensa felicidade e outros tantos de dor, como acontece nas melhores famílias.

Comentários


"Uma decisão, uma desistência, um desvio, uma pergunta, um silêncio, e de repente uma possibilidade de futuro desmorona e uma outra aparece inesperadamente" 

Assim que a editora Intrínseca anunciou o lançamento de “Queria ver você feliz” surgiu em mim aquela tão conhecida paixão por títulos. Mas nesse caso eu também tinha adorado a capa e tudo que aquela história prometia. E ao olhar para essa composição tão poética de título mais capa fiquei com a impressão de que este livro, esta história me encantaria.

“Queria ver você feliz” é um relato biográfico narrado pelo amor. Exatamente, o amor vasculha as memórias afetivas de Caio e Maria Augusta para mostrar como esse casal de cariocas se apaixonou no início da adolescência e nos apresentar todas as provações que esse sentimento teve de passar ao longo dos anos.

Apesar de curto (menos de 200 páginas) o livro tem a cadência de uma conversa despretensiosa em que o interlocutor, nesse caso o amor, vai tirando a poeira das memórias e nos contando sem pressa como as coisas aconteceram. É difícil falar sobre detalhes de uma história contada de maneira tão cotidiana. Parte dessa história é relatada através das inúmeras cartas e bilhetes que o casal trocou durante praticamente toda a vida. As escritas por Caio são mais sóbrias e as vezes até burocráticas, relatando apenas o que aconteceu. Já as da Maria Augusta eram permeadas de sentimento, de urgência e hora ou outra de chantagem emocional.

Os dois se conhecem por volta dos 14 anos e se apaixonam. Apesar das ressalvas da mãe de Maria Augusta eles se casam e tiveram três filhas, dentre elas a autora do livro - Adriana Falcão. No entanto, por se tratar de uma história real não há perfeição nenhuma nesse amor e nós, leitores, acompanhamos um sentimento que é acometido pela vida. Aquele que se desgasta com o convívio, com as loucuras, o ciúme e a tristeza. Arrisco até dizer que em alguns momentos dessa narrativa a tristeza se torna protagonista, mas tudo nos ajuda a ter um senso de realidade afinal essa não foi um história pensada para agradar. É uma história real.

Confesso que no início não gostei muito da forma de narração, mas aos poucos fui me acostumando e considero que a autora foi extremamente criativa na sua escolha. Adorei as cartas e principalmente as fotos. Cada fotografia inserida ajuda o leitor a relembrar que não se trata de uma obra de ficção.

No início comentei que tinha a expectativa de me encantar com esse livro, mas devo dizer que isso não aconteceu. E não foi por nenhum demérito da história e sim porque expectativas são sempre desleais. Recomendo!

Leitura Compartilhada

A leitura desse livro faz parte do projeto Leitura Compartilhada em que eu, a Fran (Universo Literário) e o Clóvis (De frente com os livros) nos propomos a ler o mesmo livro durante o mesmo período.


]

Érika Rodrigues

Também poderá gostar

2 comentários

  1. Esse livro parece ser algo muito interessante. Nem sempre o amor é tudo maravilhoso, não é mesmo?! E que coragem dessa menina de apresentar uma história tão pessoal ao mundo.
    É algo a se pensar sem dúvidas.

    Fiquei interessada e darei uma checada na história assim que possível! Rsrs

    Bjs

    http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oie,
    não conhecia o livro e nunca tinha visto a capa por aí.
    Parece interessante, mas não sei se iria gostar.

    bjos
    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir

.

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-SemDerivações-SemDerivados 2.5 Brasil.