Literatura em foco: 20 anos sem Caio F. Abreu

20:55


Foi em 2008. Disso tenho certeza. Foi em 2008 que despretensiosamente uma amiga me mostrou um trecho de um autor, até então desconhecido para mim, com a descrição mais visceral do amor que já havia lido. Naquele tempo eu já flertava com o amor, mas a parte instintiva desse sentimento ainda era uma nova companheira nas minhas jornadas afetivas.

E sobre isso o Caio dizia “... e se tudo isso que você acha nojento for exatamente o que chamam de amor? Quando você chega no mais íntimo, no tão íntimo, mas tão íntimo que de repente a palavra nojo não tem mais sentido”.

A honestidade e a lucidez dos textos do Caio Fernando me cativaram. Do dia em que li esse trecho até hoje, foram muitas outros trechos, livros, conversas e até uma peça de teatro maravilhosa baseada no conto Aqueles Dois. 

O Caio fala dos dramas contemporâneos, nos mostra como somos previsíveis sem ser de nenhuma maneira previsível. Talvez por isso tenha virado fenômeno nas redes sociais. Com um turbilhão de citações deslocadas utilizadas em perfis, legendas de foto e afins. Por vezes, alvo dos críticos de plantão que acreditam fazer parte dos escolhidos por uma literatura maior, uma literatura exclusiva. Mas as linhas do Caio Fernando incluem.

Apesar das frases não representarem a grandeza do trabalho do autor, entendo todos aqueles que se identificam mesmo que com fragmentos perdidos. É difícil não achar nas palavras desse gaúcho algo que poderia ter saído da nossa boca, que a gente poderia ter escrito. Os textos do Caio são como um sopro consolador. Um conforto. Um amigo que nos mostra que não estamos sozinhos em nossas angústias ou mesmo em nossas paixões. 

Caio Fernando Abreu faleceu em 25 de fevereiro de 1996.


Érika Rodrigues

Também poderá gostar

2 comentários

  1. Adoro todos os textos do Caio F. de Abreu e utilizo muitas de suas citações, já que me encontro em muitas delas :D

    http://www.sweetexpected.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Confesso que ainda não li Caio F. de Abreu porque não é muito o meu estilo na verdade, mas reconheço sua importância no cenário literário.
    O que acho irônico é que as suas obras são cheias de palavrões e sexo e a galera gosta de divulgar apenas frases bonitinhas que muitas vezes nem são de fato dele.

    Bjs

    livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

.

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-SemDerivações-SemDerivados 2.5 Brasil.