Resenha: Uma Longa Jornada (Nicholas Sparks)

23:39

Título: Uma Longa Jornada | Autor: Nicholas Sparks | Editora: Arqueiro | Edição:| Páginas: 368 | Nota: 5 de 5

Sinopse: Aos 91 anos, com problemas de saúde e sozinho no mundo, Ira Levinson sofre um terrível acidente de carro. Enquanto luta para se manter consciente, a imagem de Ruth, sua amada esposa que morreu há nove anos, surge diante dele.
Mesmo sabendo que é impossível que ela esteja ali, Ira se agarra a isso e relembra momentos de sua longa vida em comum: o dia em que se conheceram, o casamento, o amor dela pela arte, os dias sombrios da Segunda Guerra e seus efeitos sobre eles e suas famílias.
Perto dali, Sophia Danko, uma jovem estudante de história da arte, acompanha a melhor amiga até um rodeio. Lá é assediada pelo ex-namorado e acaba sendo salva por Luke Collins, o caubói que acabou de vencer a competição.
Ele e Sophia começam a conversar e logo percebem como é fácil estarem juntos. Luke é completamente diferente dos rapazes privilegiados da faculdade. Ele não mede esforços para ajudar a mãe e salvar a fazenda da família.
Aos poucos, Sophia começa a descobrir um novo mundo e percebe que Luke talvez tenha o poder de reescrever o futuro que ela havia planejado. Isso se o terrível segredo que ele guarda não puser tudo a perder.
Ira e Ruth. Luke e Sophia. Dois casais de gerações diferentes que o destino cuidará de unir, mostrando que, para além do desespero, da dificuldade e da morte, a força do amor sempre nos guia nesta longa jornada que é a vida.

*Livro cedido pela editora para resenha



Comentários

Minhas experiências anteriores com Sparks tinham sido desastrosas. Após as leituras Um Amor Pra Recordar e Querido John não me cativarem, já estava praticamente convencida de que as histórias desse autor não eram para mim. Mas ainda bem que dei um voto de confiança para o Nicholas e me permiti conhecer Uma Longa Jornada.

O livro apresenta duas histórias ao mesmo tempo. E ambas tem o amor como ponto central. A primeira delas apresenta Ira Levinson como protagonista. Ira está com 91 anos, sofre de alguns problemas de saúde e uma profunda tristeza relacionada a vida solitária nos anos que seguiram a morte de sua esposa, Ruth.  Em uma viagem de carro ele perde o controle da direção e sofre um terrível acidente. Enquanto aguarda por um socorro que parece não chegar nunca, nosso personagem tem visões de Ruth e a utiliza para tirar forças e continuar tentando sobreviver.

É através das conversas do casal que entendemos como eles se conheceram, as circunstâncias do casamento, seu amor pela arte e o que motivou Ira a fazer aquela viagem sozinho mesmo com idade já avançada. Apesar de toda a situação que envolve o acidente e de Ira estar gravemente ferido, a conversa entre os dois segue uma cadência de uma conversa normal, sem dramas que poderiam estar envolvidos.

O amor maduro de Ira e Ruth é contraposto com os primeiros sinais desse sentimento entre Sophia e Luke. Os jovens se conhecem em um rodeio quando Luke protege Sophia durante uma briga com o ex-namorado. Apesar das evidentes diferenças, visto que Sophia é uma estudante universitária de História da Arte e Luke um caubói, os dois se dão bem logo de cara e se sentem confortáveis na presença do outro.

A familiaridade que sentiram desde o primeiro encontro transpõe as diferenças e Luke e Sophia acabam se aproximando cada vez mais ao longo da narrativa até o momento em que as duas histórias se cruzam.

Comecei essa resenha ressaltando que não sou fã de autor por achar que na maioria das vezes ele pesa a mão nos dramas, mas Um Longa Jornada é bem diferente de tudo que eu já tinha lido do Sparks. Existe drama, claro, mas o drama das duas histórias são completamente plausíveis bem como os romances, que ao contrários das paixões arrebatadores, aqui, vão sendo construídos aos poucos e é muito legal acompanhar o desenvolvimento de cada parte da história durante a leitura.


Devo confessar que existe alguma previsibilidade quanto aos rumos dessa narrativa. No entanto, mesmo supondo o final o autor ainda conseguiu me surpreender e construir uma excelente história. 

Érika Rodrigues

Também poderá gostar

6 comentários

  1. Saudações Lady Érika,
    Como já devo ter dito por aqui, nunca li Nicholas Sparks. Vi uma das adaptações e nada nunca me chamou a atenção. Concordo exatamente convosco, o drama excessivo me é desnecessário. Costumo dizer que leio justamente para fugir dos dramas reais hauhauhauaha então ele nunca foi uma boa pedida.
    Fico feliz de saber que há uma obra capaz de escapar dessa linha. E sim, até fiquei curiosa.
    Talvez, assim como vós, eu me aventure com esse livro e dê uma chance aos Sparks


    Venha visitar o Castelo
    Att Ana P. Maia ♛ The Queens Castle

    Entre Vidas - Kiara
    Não deixes de conferir vosso e-mail com as instruções do Projeto #MúsicaemCrônica

    ResponderExcluir
  2. Oi Érika
    Meu primeiro contato com o autor tbm foi com Um Amor para Recordar e achei o livro muito forçado. Dps disso, li mais uns 3 livros do autor e larguei de mão.
    Acabei achando as estórias dele muito previsíveis e melosas.
    Mas que bom que vc gostou de Uma Longa Jornada. Mas eu já estou traumatizado demais para dar uma segunda chance rsrs
    Abraço,
    Alê
    www.alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Olá. Quero muito ler esse livro, bem como os outros do Nicholas. Li poucos dele, mas estes poucos já fizeram eu considerá-lo um dos melhores escritores. Amo!

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  4. Érika, fico feliz que a leitura tenha te agradado e que você tenha se surpreendido com o autor. Eu acredito que isso é possível, mesmo quando experiências anteriores nos deixam com um pé atrás. Aliás, isso me faz pensar que tem um livro do Sparks que quero muito ler, mas que sempre vivo adiando. E olha só, tenho agora outra opção de leitura. Que maravilha!

    Ótima resenha!
    P.S.: Adorei o novo 'look' do blog.

    Abraços,
    Francielle
    www.universoliterario.com.br

    ResponderExcluir
  5. Meu primeiro contato com o autor, foi com os filmes "Diario de uma paixão" e "Um amor para recordar" eu amei cada momento dos filmes, e então um dia vi o nome dele estampado em um livro que chamava "Querido John", comprei e de cara comecei a ler, e eu amei! É difícil porque o final desse livro me pegou desprevenida, nunca pensei que um final "não feliz" pudesse me agradar, e eu virei fã do autor e li todos os livros até mesmo os dos filmes que eu já havia visto, apesar de ser fã, considero que o filme do livro "Um amor para recordar" foi muito melhor que o livro. Poderia ficar aqui horas falando do meu amor por esse autor, hahahaha... amei sua resenha! Um longa jornada foi um livro muito bem construído, quebrou meu coração ler sobre Ira, o filme também está fofinho.

    Beijos
    Dani Cruz
    http://blog-emcomum.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Olá, Érika!

    Tenho uma relação conturbada com os livros do Nicholas Sparks também. Alguns adoro e outros odeio. Também odiei Querido John, acho que foi o pior dele.
    Mas o que me fez dar um voto de confiança foi Um Porto Seguro que também é muito diferente da temática que o autor sempre usa.

    Fiquei feliz de saber que Uma Longa Jornada também é diferente assim e isso me fez ficar com vontade de ler. :)
    Estou meio enjoada dos romances de sempre dele, então acho que um único assim deve ser mais interessante.

    Ficarei de olho!

    Bjs

    livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

.

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-SemDerivações-SemDerivados 2.5 Brasil.